quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Coma de acordo com seu treino

BODY & CIA - Assessoria Esportiva

www.bodycia.com.br

Por Cesar Candido dos Santos - O2 Running



Dosar as porções de proteína, carboidrato, gordura e fibras é essencial para não engordar ou perder peso. Saiba como equilibrar sua alimentação com as horas de corrida semanais





Uma alimentação equilibrada ajuda o organismo a funcionar corretamente e reflete diretamente no desempenho dos praticantes de atividade física durante treinos e competições. Por isso, é muito importante saber dosar a quantidade de calorias ingeridas nas refeições para que isto não interfira no rendimento durante a corrida.

"Um atleta amador ou profissional pode alcançar seus objetivos muito mais rápido quando possui uma alimentação adequada às suas necessidades durante as provas ou treinos", declarou Anielle D´Angelo, gestora nutricional da Everything2eat.

Quando se come além do necessário, o organismo acumula parte das calorias que não serão consumidas em forma de gordura. Já quando acontece o contrário, e o alimento ingerido não é capaz de suprir as necessidades, o corpo passará a buscar energia de outras fontes, como as proteínas dos tecidos. Isto, além de provocar uma perda de peso, pode diminuir o percentual de massa muscular, o que não é nada bom para um corredor.

"Quem perde massa muscular perde força, e o rendimento com certeza vai cair. Por isso, é muito importante se preocupar com uma alimentação de qualidade", explicou o treinador Kim Cordeiro, da BK Sports.

A fórmula
A quantidade de calorias que o corpo consome por dia varia de indivíduo para indivíduo, e depende de itens como altura, peso, sexo, idade, taxa de metabolismo basal e quantidade de atividade física praticada por cada um. Para se chegar ao número exato, o ideal é fazer uma avaliação física que aponta a necessidade calórica da pessoa ou procurar um nutricionista para uma análise individual.

"Também existem alguns cálculos que se pode fazer para chegar a uma média da quantidade de calorias e nutrientes necessários. Uma pessoa precisa por dia de 8 a 12 g de carboidrato, 1,5 g de proteína e 1 g de gordura por quilo de peso", explicou o nutricionista Luis Ricardo Alves, consultor do site Nutrição Fácil. "Assim, uma pessoa que pesa 70 kg precisa consumir aproximadamente 560 g de carboidratos, 105 g de proteínas e 70 g de gordura por dia. Se multiplicarmos este número pela taxa calórica de cada nutriente [carboidrato (4), proteína (4) e gordura (9)], chegaremos à conclusão de que este indivíduo necessita de 3.290 calorias", completou.

O próximo passo é distribuir a quantidade de calorias de forma equilibrada entre as refeições, de acordo com a necessidade e os horários dos treinamentos. "Isto depende muito da intensidade do exercício. Às vezes, pode se gastar mais calorias em um treino curto de alta intensidade do que em um longo, apenas de rodagem", disse Luis Ricardo.

O que comer
Antes das atividades físicas, os alimentos ricos em carboidratos, como batatas, massas, arroz, pães e torradas, são os mais indicados para o consumo, porque fornecem a maior parte da energia que os músculos necessitam. Já as fibras, muito importantes na dieta, principalmente por serem pouco calóricas e provocarem uma sensação de saciedade, devem ser evitadas, pois podem acelerar o processo gastrointestinal.

Durante a corrida, principalmente em treinos fortes com mais de uma hora de duração, também é indicado ter fontes de carboidratos para repor as "forças" e evitar a queda de rendimento. "Quanto mais prolongado for o exercício, maior será a exigência de carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas, minerais e água a serem ingeridos durante a atividade. O interessante é o atleta pensar em consumir não só suplementos, mas também alimentos", afirmou Anielle. "Acho legal levar bisnaguinhas, pães, frutas ou outros tipos de alimentos sólidos, para não usar apenas os carboidratos em formas de líquidos ou gel", completou Luis Ricardo.



quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

ALIMENTAÇÃO PRÉ-TREINO OU COMPETIÇÃO

BODY & CIA - Assessoria Esportiva

www.bodycia.com.br


Sem o café da manhã ideal, o corredor pode sofrer com a piora de desempenho, tonturas e até mesmo desmaios durante treinos ou competições. Saiba da importância de comer bem antes da corrida matinal.


 
Por Fausto Fagioli / O2 Running

O café da manhã tem status de refeição mais importante do dia. Para o corredor, esse momento é ainda mais crucial, afinal treinos e competições são realizados, na maioria das vezes, no período da manhã. Se a alimentação não for feita de forma a suprir as necessidades de demanda de energia durante a prática do esporte, o desempenho pode ser prejudicado.

"O maior erro de quem vai praticar exercícios físicos pela manhã é achar que consegue correr sem se alimentar. Isso é muito grave, pois pode causar tonturas e até mesmo desmaios", diz Patrícia Soares, nutricionista. A especialista dá dicas de como deve ser feita a refeição pré-corrida:

"Durante a manhã, a glicemia está baixa pelo longo período sem alimentação. Por isso o corredor deve ingerir alimentos que normalizem essa condição. O ideal é começar com frutas, que têm absorção rápida – , fazendo com que o açúcar entre logo no sangue. Depois, recomenda-se a ingestão de carboidratos e alimentos de baixa gordura, como pães, cereais, bolos e iogurte", afirma.

Errar na escolha dos alimentos logo pela manhã pode prejudicar também o desempenho durante a corrida, como explica a treinadora Camila Tomaz. "A falta de carboidratos leva a perda de força durante a corrida, já que o corpo não tem da onde tirar os nutrientes necessários para se abastecer", diz.

Maria Eugênia Silva, 45, dentista, corre há cinco anos e tinha problemas com a alimentação pré-treino. "Eu comia pouco e achava que estava bom, não tinha vontade de me alimentar logo pela manhã. Tomava um copo de leite, comia uma torrada e saia pra correr. Isso se refletia no meu desempenho. Me sentia cansada, fraca e lenta", lembra.

"Só no começo deste ano é que comecei a perceber que deveria mudar isso. Procurei uma treinadora e uma nutricionista, que mostraram o que estava errado na minha alimentação. Hoje, tenho uma refeição equilibrada antes de correr. Tomo leite desnatado, como pão integral com queijo branco ou peito de peru e, por fim, alguma fruta", diz a corredora, que completa: "Hoje me sinto muito melhor para correr. Minha velocidade melhorou e me sinto mais disposta e com mais força".

O que evitar

Os alimentos gordurosos e pesados não são aconselhados. "O praticante de corrida deve evitar alimentos ricos em gordura. Aquela pizza da noite anterior pode parecer tentadora, mas quem praticar um esporte logo pela manhã deve resistir", explica Patrícia.

Outros alimentos a serem evitados são os bolos confeitados e pesados, chocolates, leite e cafeína. "A gordura é de lenta digestão e, além disso, demora para se transformar em energia, e o desempenho será atrapalhado", diz a nutricionista. A cafeína tem efeito diurético, e, se consumida em exagero, pode causar desidratação.
 
Bons treinos a todos!!
 
Prof. Claudio Bolanho

 


Veja quais são os assuntos do momento no Yahoo! + Buscados: Top 10 - Celebridades - Música - Esportes

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Alexandre Ribeiro conquista o tricampeonato do Ultraman

Fonte: webrun - Data: 01/12/2008

O brasileiro Alexandre Ribeiro conquistou o tricampeonato do Mundial de Ultraman no Havaí. A prova foi realizada durante três dias com início na última sexta, 28 de novembro e término no domingo. Ao todo os participantes percorreram 10km de natação, 421km de ciclismo e por fim 84km de corrida.Alexandre venceu com o tempo de 21h49min38. Esse foi o seu melhor tempo na prova. Ele ficou oito minutos atrás do recorde da competição. Alexandre, que já havia vencido o Ultraman em 2003 e 2005, garantiu a terceira vitória com a ajuda do seu filho de 11 anos, Kaillani. “Ele foi meu amuleto da sorte e um grande incentivador durante estes três dias. Atuou como meu staff, seja no carro de apoio ou correndo ao meu lado durante vários trechos da ultramaratona. Participou da minha hidratação e alimentação no percurso e, portanto, foi um campeão também. Tenho certeza de que a experiência dele aqui e essa vitória ficarão para sempre gravadas na sua memória”.Para o brasileiro a competição estava perfeita. Porém, a parte da natação foi mais puxada já que enfrentou fortes correntezas. Isso, de acordo com o atleta, impossibilitou a quebra do recorde. “Não fosse pela forte correnteza na natação, eu teria quebrado o recorde mundial, pois nadei 20 minutos pior que minha melhor marca e, no tempo total, fiquei a apenas sete minutos do recorde. Mas ano que vem tem mais”, conta.Além disso, Alexandre Ribeiro, enfrentou também dificuldades na bike. Sua bicicleta apresentou problemas na regulagem das marchas no trecho mais íngreme da prova. Mas isso não impediu a vitória. A segunda posição da prova ficou com o canadense Tony O’Keefe (22h31min54) seguido pelo esloveno Miro Kregar (22h35min24). Já a melhor mulher na competição foi Shanna Armstrong. Ela foi a 10ª colocada no geral e finalizou o Ultraman em 26h25min03.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Colucci é bicampeão do Long Distance


Fonte: Cesar Candido dos SantosFoto Fernanda Paradizo/ Tri Sports - Data: 24/11/2008



Triatleta confirma o favoritismo e é o mais rápido na disputa de Pirassununga. Vanessa Gianini vence a prova feminina e Thiago Vinhal conquista o título do Short Distance



O triatleta Reinaldo Colucci (Reebok/ Damha) confirmou seu favoritismo e conquistou o bicampeonato do Triathlon Long Distance, competição realizada neste domingo, dia 24 de novembro, na Academia da Força Aérea de Pirassununga, interior de São Paulo. O representante do Brasil nos Jogos da China, que este mês ficou em quinto lugar no Mundial de Ironman 70.3, completou o percurso de 1,9 km de natação, 90 km de corrida e 21 km de ciclismo em 3h47min39s.“Achei que estava muito bem na prova. A última parte da natação foi dura, mas consegui escapar do grupo principal e isso me ajudou. Fui o primeiro a sair para o ciclismo e, apesar do vento muito forte, permaneci na frente. Na corrida, o Ezequiel Morales colocou pressão, mas isto serviu como um incentivo para manter a vantagem”, contou Colucci, que é o recordista da prova com o tempo de 3h42min59s, feito em 2007.O segundo lugar na disputa ficou com o argentino Ezequiel Morales (3T Style/ Nutrição e Desenvolvimento), que cruzou a linha de chegada com quase dois minutos de atraso. O terceiro colocado foi Ivan Albano Júnior (Ellan/ RM), com 3h56min43s. Este resultado lhe garantiu o título do ranking do circuito.FemininoNa disputa feminina, Vanessa Gianini (Medley/ Speedo) também não deu chances para suas adversárias e liderou a prova desde o início. A atleta de Campinas cruzou a linha de chegada em 4h30min54s, com uma vantagem de quase dois minutos para a colombiana Fiorela Croz (Cali Triatlon), que ficou com o segundo lugar. Silvia Fusco (Latina/ Damha), também da Colômbia, acabou na terceira posição."Estou bastante adaptada ao circuito da base aérea e o clima ajudou. O meu tempo foi melhor que o do ano passado. Enfrentei vento forte na terceira volta do ciclismo, e isso me deixou cansada, porque tive de forçar muito a pedalada. Entrei na corrida desgastada, mas consegui me manter na frente", disse Vanessa, que chegou a abrir 9 min de vantagem durante a corrida. Short DistanceAlém do Long Distance, também foi realizado em Pirassununga, no sábado (23), o SP Brasil Short Distance, prova que teve 900 m de natação, 22,5 km de ciclismo e 6 km de corrida. As vitórias na disputa ficaram com o triatleta Thiago Vinhal, no masculino, e Thyciane Viegas de Oliveira, no feminino.Classificação finalLong Distance - masculino1 - Reinaldo Colucci (BRA/ Reebok/ Damha) 3h47min39s2 - Ezequiel Morales (ARG/ 3T Style/ Nutrição e Desenvolvimento) 3h49min22s3 - Ivan Albano (BRA/ Ellan/ RM) 3h56min43sLong Distance - feminino1 - Vanessa Gianini (BRA/ Medley/ Speedo) 4h30min54s2 - Fiorela Croz (COL/ Cali Triathlon) 4h32min35s3 - Silvia Fusco (COL/ Latina/ Damha) 4h44min51s Short Distance - masculino1 - Thiago Vinhal (BRA) 1h05min06s2 - Anderson Ferreira (BRA/ Cirúrgica Fernandes) 1h06min31s3 - Bruno Werneck (BRA) 1h07min49sShort Distance - feminino1 - Thyciane de Oliveira (BRA/ RM) 1h18min33s2 - Vanessa Bley (BRA/ Limiar) 1h19min49s3 - Sueli Braz (BRA) 1h20min52s

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

TRANSIÇÃO NO TRIATHLON

BODY & CIA - Assessoria Esportiva

Acesse: www.bodycia.com.br

Fonte - Treino online

A passagem de uma modalidade para a outra durante uma prova de triathlon é comumente chamada de "transição", onde se termina uma modalidade e começa outra. Para alguns a transição nem é percebida (para atletas experientes e em provas mais curtas), já para atletas inexperientes a transição passa a ser uma das piores partes do triathlon.

Este desconforto com a transição é devido a diversas alterações fisiológicas que ocorrem durante a passagem de uma modalidade a outra. Durante a primeira transição (T1) onde o atleta acaba de nadar e vai pedalar é normal atletas menos experientes relatarem tonturas, isso é devido ao ajuste circulatório que ocorre neste momento, podendo para pessoas menos experientes ocasionar grande desconforto. Pensando no rendimento da prova, uma pessoa mais adaptada a esta mudança fisiológica pode render melhor no ciclismo, pois já inicia a modalidade com um menor estresse fisiológico. Outro aspecto importante a ser considerado é a intensidade em que se faz a transição, pois uma transição muito intensa pode prejudicar o exercício posterior.    

Durante a segunda transição (T2) - ciclismo para a corrida, os ajustes fisiológicos que acontecem não são tão pesados a ponto de levar a uma queda instantânea da pressão e posterior tontura como acontece na T1, mas ajustes proprioceptivos são de suma importância para o atleta que irá correr posteriormente ao ciclismo, tendo os menos adaptados àquela sensação de "travamento" das pernas no início da corrida, o que não acontece com atletas que treinam regularmente a T2.

 A atividade de ciclismo altera o desempenho na posterior corrida, sendo ela pior quando comparada a corrida sozinha, isto pode variar de 3 a 14% e vai depender do quanto o atleta está adaptado a correr posteriormente ao ciclismo. Diversos são os fatores que modelam a diminuição do desempenho na corrida no triathlon, estando entre os principais a diminuição do glicogênio muscular, mudança na cinemática da corrida com posterior diminuição da economia de movimento e aumento do gasto energético. Vale lembrar que em provas com temperatura elevada ou em provas longas (Ironman e Meio-Ironman) a desidratação também é um fator desencadeante da diminuição do desempenho da corrida durante o triathlon.

Outro fator importante para o treinamento de transição é a aprendizagem ou melhora dos gestos específicos das transições (T1 e T2), já que trocar o equipamento de natação pelo de ciclismo e o de ciclismo pelo de corrida podem ser aprimorados com o treinamento, principalmente aquele que busque a especificidade da prova, melhorando o desempenho do atleta durante as transições.
Resumindo, sempre treinem transição, isso irá ajudar a melhorar seu desempenho no triathlon ou mesmo a diminuir alguns desconfortos durante a prova.

Bons treinos!!

Abraços Professor Claudio Bolanho



Veja quais são os assuntos do momento no Yahoo! + Buscados: Top 10 - Celebridades - Música - Esportes

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Doces permitidos...

BODY & CIA - Assessoria Esportiva 


Delicias a base de frutas podem ser consumidas sem culpa em pequenas quantidades, assim como o chocolate amargo 
Por Fátima Martin - Nutricionista

Aquela vontade de comer uma barra de chocolate, de cereal ou uma porção de compota de frutas após do almoço faz a boca salivar só de imaginar a primeira mordida. Esse desejo aguça também a consciência, que geralmente fala mais alto: Será que devo? Afinal, é só um docinho?

Independentemente do tamanho da porção, aquele pedacinho de doce, que parece inofensivo ao organismo, pode comprometer a sua dieta se for ingerido em horário indevido, além de estimular, e muito, a vontade de comer.

Para a nutróloga Tamara Mazaracki, membro da Abran - Associação Brasileira de Nutrologia e especialista em medicina ortomolecular, o doce é permitido também para atletas, mas deve ser consumido em pequenas porções. "Para os corredores que não precisam perder peso e malham pesado todos os dias, é permitido o consumo de doces até quatro vezes por semana. Já nos dias em que não tiver que treinar, o doce, como uma barra de chocolate ou uma fatia de goiabada, por exemplo, deve ser substituído pelo iogurte ou fruta", disse Tamara.

Os doces à base de frutas são os mais indicados pelos benefícios das frutas e absorção no organismo. "Goiabada, bananada, compotas em geral, como de figo, e cocada podem ser consumidos em porções de 30 g a 40 g. Como a maioria das frutas possui uma fibra chamada pectina, que atua na redução do colesterol e evita picos de insulina no corpo, elas são bem mais saudáveis do que outros tipos de doces. Mas lembre-se de não exagerar", recomendou Tamara.
As frutas mais indicadas para praticantes de corrida, segundo a nutricionista Jane Corona, formada pela École Le Cordon Bleu, em Paris, na França, são frutas que tenham potássio, pois dão bastante energia. "Consumir sucos de banana, laranja, abacaxi, abacate e açaí e, de preferência, bater as frutas sempre com duas amêndoas e castanhas, pois são ricas em minerais", sugere.

O melhor momento para comer doces e evitar peso na consciência é após a atividade física. "Antes do treinamento ou de uma prova é ideal consumir carboidratos de absorção lenta, ou seja, integrais, como aveia, uma fatia de pão, para que o corpo tenha tempo de absorver o alimento lentamente. Após a prova, os músculos precisam de mais energia, por isso, esse é o melhor momento de consumir doces, como saches de gel de carboidrato, sucos de frutas mais pesados, como de banana, por exemplo, pois o organismo não terá tempo de absorver o açúcar, que se transformará em glicogênio para suprir as necessidades do corpo, como a do fígado", explicou a nutróloga Tamara.

Para saciar a vontade de comer doce sem exagerar no consumo de açúcar, o ideal é compor o doce com outro alimento, como o tradicional "Romeu e Julieta", uma fatia de goiabada com outra de queijo.

Doces guardados a quatro chaves
Os bolos e tortas são preparados com margarina ou gordura vegetal, que são ricos em gordura trans, extremamente danosa ao organismo, pois pode causar o aumento da produção de radicais livres, além de aumentar o colesterol ruim e trazer doenças degenerativas e problemas cardiovasculares. "Por causa do desgaste do corpo do atleta, o corpo pede mais doces. Existe uma necessidade maior em carboidrato em geral para repor o glicogênio. Porém, ele deve evitar esses tipos de doces a base de massa, que deve ser consumido no máximo a cada dez dias", afirmou Tamara.

Os doces campeões que você deve manter distância ainda são os aqueles feitos à base de leite integral e gordura saturada, como o doce de leite e brigadeiro, que devem ser consumidor no máximo a cada 15 dias.

Chocolate: pode ou não pode?
Ao contrário dos chocolates ao leite, o meio-amargo e amargo são permitidos, pois possuem entre 60% a 70% de cacau e são ricos em compostos fenólicos, responsáveis em inibem os radicais livres, produzidos durante a corrida.

Acima do peso
Os atletas que estão um pouco acima do peso devem evitar ao máximo a ingestão de doces, sejam à base de frutas ou de leite. "O único momento que pode ser liberado o doce é logo após o exercício físico, porém em menor quantidade. Um doce de bananinha individual, um copo de suco de frutas ou 20 gramas de chocolate, ou seja, dois tabletes da barra grande de chocolate. Caso contrário, o corredor nunca vai conseguir perder os quilos extras. O ideal mesmo é a pessoa evitar os doces em geral até chegar à massa corporal adequada. Até lá, poderá consumir frutas com iogurte desnatado ou queijo", conclui Tamara.

Atletas com taxa metabólica muito alta, que têm atividade intensa durante a semana inteira, ao reduzirem a atividade também devem diminuir consideravelmente o consumo de alimentos para não engordarem de uma hora para a outra.

www.bodycia.com.br



Novos endereços, o Yahoo! que você conhece. Crie um email novo com a sua cara @ymail.com ou @rocketmail.com.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Fábio Carvalho e Carla Moreno vencem sexta etapa do Troféu BRASIL

Fonte: Webrun - Donata Lustosa - Data: 9/11/2008


Direto de Santos - A penúltima etapa do Troféu Brasil de Triathlon foi realizada nesse domingo (9) no litoral paulista. Mais de 600 pessoas participaram da competição que aconteceu na Praia do Gonzaga em Santos.Na categoria profissional a briga pelo pódio foi acirrada. Paulo Miyashiro e Fábio Carvalho duelaram durante todo percurso em busca de pontos para o ranking geral do Troféu Brasil. Quem levou a melhor foi Fábio Carvalho, que não participou do Mundial de Meio Ironman, realizado também nesse fim de semana, para focar o bicampeonato do circuito.“A prova estava indefinida até a metade da corrida. Nadei razoável, abaixo do que gostaria. Por isso tive que me desgastar um pouco mais na bike para alcançar o Shiro”, conta o campeão. A última etapa do Troféu Brasil, que acontece no dia sete de dezembro, vale mais pontos e por isso é a mais importante do circuito. “Estou próximo da vitória. Mas meu objetivo agora é chegar na última prova bem para pode competir e vencer”.Já Shiro, que vinha de uma série de vitórias, ficou com o segundo lugar. “Não tem segredo. Faltam quatro semanas para a última prova e dá tempo de treinar bem. Eu dei uma relaxada depois da quinta etapa. Três vitórias seguidas você acaba relaxando um pouco. Mas o Fabinho hoje foi muito bem, me surpreendeu. Quero ver na última etapa vou vir com tudo”, conta Shiro. O terceiro lugar da prova foi para Ezequiel Morales. Já na disputa feminina, Carla Moreno faturou mais uma etapa e está perto de se tornar a primeira mulher a vencer o Troféu Brasil por sete vezes. Até hoje, apenas o argentino Oscar Galindez conquistou o heptacampeonato do circuito. Mas a prova desse domingo não foi fácil para Carla Moreno.“Foi uma prova difícil. Não estava me sentindo bem. Durante o ciclismo eu pensei várias vezes em abandonar a prova. Vomitei duas vezes durante a bike e meu estômago doía muito. Passei a prova toda sem comer. Mas o triathlon é vencer desafios e hoje consegui vencer mais um”, revela.Vanessa Giannine foi a segunda colocada seguida pela colombiana Fiorella D'Croz, que agora treina em São Carlos, interior de São Paulo.Amadores - Enquanto os profissionais enfrentavam mais um desafio, os amadores da modalidade short distance (750m de natação, 20km de bike e 5km de corrida) já se preparavam para ir embora.A sexta etapa do circuito foi marcada pelos extremos. Lucas Santana, de 13 anos, foi o representante mais novo da prova. Triathleta desde os 10 anos, essa foi a quarta vez que ele participou do Troféu Brasil de Triathlon. De acordo com o pequeno atleta, ele se apaixonou pelo esporte depois de acompanhar uma prova pela televisão. O objetivo de Lucas, que mora em Balneário Camboriú, é seguir carreira no esporte e por isso já encara o triathlon como algo sério. “Eu perco um pouco do meu tempo por causa do triathlon. Em véspera de competição, ao invés de sair com meus amigos, eu tenho que estar concentrado, fazer a minha dieta. Mas quando você vê que você está bem disposto e ganhando, não tem outra coisa melhor”, ensina o pequeno.Se Lucas quer crescer com o esporte, o paulistano Helmuth Spengler quer conservar o espírito jovem. Aos 62 anos, ele começou no triathlon no ano passado e não parou mais. “Faz uns 10 anos que crio coragem para participar disso. Depois de um convite de uma pessoa eu topei e estou aqui”, conta. “Na verdade estou aqui para me sentir no meio da galera ainda”, revela.A sétima e última etapa do Trofeu Brasil de Triathlon acontece no dia sete de dezembro também em Santos com largada e chegada na Praia do Gonzaga.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Mundial de Ironman 70.3

Fonte: Prólogo - Por Cesar Candido dos Santos - Foto Bruno Romano (Oscar Galindez no 70.3 de Penha)

Última grande competição da temporada vai ser realizada neste sábado, na Flórida 06/11/2008.

A temporada se aproxima do fim e neste sábado, dia 8 de novembro, será realizada a última grande prova do calendário mundial de triathlon 2008, o Mundial de Ironman 70.3. A competição, que será realizada na cidade de Clearwater, na Flórida, Estados Unidos, vai reunir grandes nomes do esporte, e terá 1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21 km de corrida.Entre os brasileiros, o principal destaque na disputa é o paulista Reinaldo Colucci (Reebok), um dos representantes do Brasil nas Olimpíadas de Pequim. Aos 22 anos, ele é uma das grandes promessas do país, e este ano venceu o Triathlon de Dijon, na França, e colheu diversos triunfos em competições nacionais.“Estou bastante ansioso, depois da Olimpíada, essa se tornou minha prova de maior foco no ano de 2008. Sei que estou em uma forma física muito boa, e acredito ter chances reais de subir no pódio”, declarou Colucci.Outro forte candidato ao título da competição é o argentino Oscar Galindez (Reebok). O triatleta, que é o maior vencedor da história do Troféu Brasil de Triathlon, terminou em segundo lugar o Mundial 70.3 do ano passado, apenas 4s atrás do norte-americano Andy Potts. ”Já tive um bom resultado em 2007, pois fui vice-campeão mundial, então usei a mesma fórmula do ano passado nos meus treinos, só mudou um pouco na natação”, revelou o atleta, que há treze anos mora no Brasil e, em 2008, foi primeiro lugar nas disputas do Ironman 70.3 em Rhode Island, nos Estados Unidos, e na Penha, em Santa Catarina.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Vídeo Palestra sobre a Maratona do IronMan

Galera, o vídeo abaixo é uma palestra ministrada pela treinadora Silvana Cole para a Corpore. Aborda a Maratona no IronMan, é muito interessante.

O link para o vídeo é:

http://www.corpore.org.br/videos/2008/08092008_ironman/ironman_player.asp

Esteróides Anabolizantes e seus efeitos

BODY & CIA - Assessoria Desportiva

 

Esteróides Anabolizantes e seus efeitos

 

Definição

 

Os esteróides anabolizantes mais conhecidos apenas com o nome de anabolizantes, são drogas relacionadas ao hormônio masculino Testosterona fabricada pelos testículos. Os anabolizantes possuem vários usos clínicos, nos quais sua função principal é a reposição da testosterona nos casos em que, por algum motivo patológico, tenha ocorrido um déficit.

 

Além desse uso médico, eles têm a propriedade de aumentar os músculos e por esse motivo são muito procurados por atletas ou pessoas que querem melhorar a performance e a aparência física. Segundo especialistas, o problema do abuso dessas drogas não está com o atleta consagrado, mas com aquela "pessoa pequena que é infeliz em ser pequena". Esse uso estético não é médico, portanto é ilegal e ainda acarreta problemas à saúde.

 

Os esteróides anabolizantes podem ser tomados na forma de comprimidos ou injeções e seu uso ilícito pode levar o usuário a utilizar centenas de doses a mais do que aquela recomendada pelo médico. Freqüentemente, combinam diferentes esteróides entre si para aumentar a sua efetividade. Outra forma de uso dessas drogas, é toma-las durante 6 a 12 semanas, ou mais e depois parar por várias semanas e recomeçar novamente.

 

No Brasil não se tem estimativa deste uso ilícito, mas sabe-se que o consumidor preferencial está entre 18 a 34 anos de idade e em geral é do sexo masculino.

 

Nos USA, em 1994, mais de um milhão de jovens já tinham feito uso de esteróides anabolizantes.

No comércio brasileiro, os principais medicamentos à base dessas drogas e utilizados com fins ilícitos são: Androxon® Durateston®, Deca-Durabolin®. Porém, além desses, existem dezenas de outros produtos que entram ilegalmente no país e são vendidos em academias e farmácias. Muitas das substâncias vendidas como anabolizantes são falsificadas e acondicionadas em ampolas não esterilizadas, ou misturadas a outras drogas.

 

Alguns usuários chegam a utilizar produtos veterinários à base de esteróides, sobre os quais não se tem nenhuma idéia sobre os riscos do uso em humanos.

  

Efeitos adversos

 

Alguns dos principais efeitos do abuso dos esteróides anabolizantes são: tremores, acne severa, retenção de líquidos, dores nas juntas, aumento da pressão sangüínea, DHL baixo (a forma boa do colesterol), icterícia e tumores no fígado. Além desses, aqueles que se injetam ainda correm o perigo de compartilhar seringas e contaminar-se com o vírus da Aids ou hepatite.

 

Outros efeitos

 

Além dos efeitos mencionados, outros também graves podem ocorrer:

 

No homem: os testículos diminuem de tamanho, a contagem de espermatozóides é reduzida, impotência, infertilidade, calvície, desenvolvimento de mamas, dificuldade ou dor para urinar e aumento da próstata.

Na mulher: crescimento de pêlos faciais, alterações ou ausência de ciclo menstrual, aumento do clitóris, voz grossa, diminuição de seios.

 

No adolescente: maturação esquelética prematura, puberdade acelerada levando a um crescimento raquítico.

O abuso de anabolizantes pode causar ainda uma variação de humor incluindo agressividade e raiva incontroláveis que podem levar a episódios violentos. Esses efeitos são associados ao número de doses semanais utilizadas pelos usuários.

 

Usuários, freqüentemente, tornam-se clinicamente deprimidos quando param de tomar a droga. Um sintoma de síndrome de abstinência que pode contribuir para a dependência.

 

Ainda podem experimentar um ciúme patológico, extrema irritabilidade, ilusões, podendo ter uma distorção de julgamento em relação a sentimentos de invencibilidade, distração, confusão mental e esquecimentos.

Atletas, treinadores físicos e mesmo médicos relatam que os anabolizantes aumentam significantemente a massa muscular, força e resistência. Apesar dessas afirmações, até o momento não existe nenhum estudo científico que comprove que essas drogas melhoram a capacidade cardiovascular, agilidade, destreza ou performance física.

 

Devido a todos esses efeitos o Comitê Olímpico Internacional colocou 20 esteróides anabolizantes e compostos relacionados a eles, como drogas banidas, ficando o atleta que fizer uso deles sujeito a duras penas.

 

Os principais esteróides anabolizantes são: oximetolona, metandriol, donazol, fluoximetil testosterona, mesterolona, metil testosterona, sendo os mais utilizados no Brasil a Testosterona e Nandrolona.

 

www.bodycia.com.br



Novos endereços, o Yahoo! que você conhece. Crie um email novo com a sua cara @ymail.com ou @rocketmail.com.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Ultramaratona do Rio de Janeiro

Se você estava em busca de um grande desafio, chegou a hora!!
Uma prova de 24 horas disputada no Rio de Janeiro!!

Veja as informações e garanta sua inscrição!!
Data: 29 de novembro
Local: Pista de Atletismo da Escola Naval na Cidade do Rio de Janeiro
Premiação: Premiação em dinheiro aos primeiros colocados.
Camiseta e medalha para todos os participantes.
Premiação para Faixas Etárias

Durante as 24 horas de prova, a organização oferecerá toda a estrutura necessária para segurança e conforto dos atletas, contando inclusive com local para montagem de tendas, tendas médicas e de fisioterapia e 3 refeições além de água, isotônico, energético e frutas.Para mais informações e inscrições clique aqui

Inscrições limitadas!!

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Para proteger a pele do corredor

BODY & CIA - Assessoria Esportiva

 

www.bodycia.com.br


A neuróloga Tâmara Mazaracki fala dos alimentos que combatem o envelhecimento precoce da pele e doenças, como câncer, em atletas que frequentemente ficam expostos à radiação solar

 

Por Tâmara Mazaracki*

A corrida é uma actividade exercida ao ar livre. O atleta fica exposto à acção do vento, da salinidade – quando corre a beira-mar – e das intempéries. Para minimizar a acção dos raios ultravioleta e manter a pele saudável, alguns cuidados indispensáveis devem ser tomados, como o uso de filtro solar, óculos escuros e boné.

A alimentação e hidratação adequadas também são importantes, porque a pele desidratada e desprovida de antioxidantes fica mais susceptível ao ressecamento e a outros danos causados por condições climáticas adversas, como pela acção da radiação solar, que acelera o envelhecimento. Existem diversos alimentos que podem ajudar na proteção da pele. O efeito fotoprotetor deve-se ao alto teor de antioxidantes diversos, que previnem a formação de câncer de pele, reduzem a espessura cutânea, evitam o ressecamento e a desidratação causados pela exposição repetida aos raios solares e ao vento.

Há mais de 600 pigmentos carotenóides encontrados em frutas e vegetais de cor verde-escura, vermelha, laranja e amarela. Esses pigmentos – alfacaroteno, betacaroteno, licopeno, luteína, zeaxantina – são produzidos pelas plantas como uma forma de defesa à radiação solar, e nós também podemos nos beneficiar da ação antioxidante e protetora do DNA celular. Os alimentos mais recomendados são: abóbora, cenoura, manga, mamão, tomate, goiaba, brócolis, agrião e pimentão.

O chá verde, extraído da planta Camellia sinensis, tem propriedades antioxidantes notáveis e efeito benéfico à saúde, além de ser rico em compostos fenólicos, os polifenóis e catequinas, que também contribuem para a fotoproteção. O ideal é consumir duas xícaras do chá diariamente, de preferência feito na hora, para maior concentração de polifenóis.

O cacau é uma das frutas mais ricas em polifenóis. A ingestão regular do delicioso cacau em pó, matéria-prima do chocolate, promove a fotoproteção e manutenção da saúde da pele, porque estimula a micro-circulação e aumenta o fluxo sanguíneo da pele, além e nutrir e hidratar a epiderme. Como resultado, a pele fica mais espessa e resistente.

O cacau possui também ação antiinflamatória que reduz a vermelhidão da pele queimada pelo sol. Devido ao seu altíssimo teor de polifenóis, ainda maior do que o encontrado no chá verde, o cacau é considerado um dos alimentos com maior potencial antioxidante, capaz de neutralizar os radicais livres gerados pela radiação UVA e UVB, proteger a pele contra o envelhecimento precoce e contra o câncer causado pelo sol. O seu efeito benéfico é tão eficaz que actualmente existem inúmeros cosméticos à base de chocolate, tanto para a pele quanto os cabelos. Os mais indicados são as versões escuras do produto, de chocolate amargo e meio amargo, ou então o cacau em pó, que pode ser misturado em sucos e vitaminas.

A pele desidratada é resultado de pele áspera, seca e envelhecida. Em estações mais quentes, procure ingerir, além da água mineral, água de coco e suco de frutas, que vão ajudar na hidratação do seu corpo e de sua pele, além de conter vitaminas e minerais com acção antioxidante.

Evite tomar refrigerante, pois contém muito açúcar, sódio e substâncias químicas nocivas. Em contrapartida, frutas cítricas, como laranja, maracujá, acerola, cajú e morango são ótimas fontes de bioflavanóides e vitamina C, que ajudam na preservação das fibras de colágeno e elastina, responsáveis pela firmeza e elasticidade do tecido cutâneo.

Já a vitamina E encontra-se no azeite de oliva, germe de trigo, ovo, carnes escuras, abacate, manga, amêndoa, avelã, castanha-do-pará, amendoim, trigo, arroz, aspargos e pepino.

Além das vitaminas C e E, que aliviam o stress causado à pele pelo sol, o ácido fólico desempenha importantíssimo papel na protecção cutânea, e pode ser encontrado em folhas verde-escuras, como espinafre, couve, agrião e rúcula, por exemplo, além de estar presente em outros alimentos, como melão, melancia, leite, salmão e levedo de cerveja.

Vale a pena investir na combinação desses alimentos para proteger a sua pele, que estará exposta à radiação solar e ao frio durante o treinamento e as provas de rua. Aproveite ao máximo as vantagens antioxidantes de cada um deles.

* Tamara Mazaracki é nutróloga, especialista em medicina ortomolecular e membro da ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia).

Bons treinos! Prof. Claudio Bolanho



Novos endereços, o Yahoo! que você conhece. Crie um email novo com a sua cara @ymail.com ou @rocketmail.com.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Fernanda Keller foi 36ª no Hawai

Fonte: http://www.ironmanlive.com/


Com o tempo de 10:43:16, Fernanda Keller completou na 36ª posição a sua 22ª participação consecutiva.

Parciais:
SWIN: 1:03:21
BIKE: 5:44:37
RUN: 3:48:20

Aos 45 anos, Fernanda Keller vai para seu 22º Ironman do Havaí consecutivo


Fonte: GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro


Carioca é a única atleta sul-americana na categoria elite feminina.

Única sul-americana classificada na categoria elite profissional feminina, Fernanda Keller, aos 45 anos, participará neste sábado de mais um Campeonato Mundial de Ironman, no Havaí. Esta será a 22ª participação consecutiva da triatleta, feito jamais alcançado por outra atleta no mundo. O Ironman do Havaí é a mais tradicional competição de triatlo do mundo. É disputado sempre na primeira lua cheia de outubro, em Kailua-Kona. São 3,8km de natação, 180km de ciclismo e 42km de corrida. Fernanda Keller, que venceu neste ano o Ironman Brasil, em Florianópolis, promete fazer uma excelente prova. - Sempre entro numa competição disposta a superar todas as adversidades. Esse será mais um grande dia na minha carreira, e. estou pronta para mais um desafio, afirmou a triatleta, que já foi seis vezes medalha de bronze no Ironman do Havaí.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Corrida do Shopping Aricanduva 09 Km.


Assessoria Fábio Brito convida:


Domingo dia 12-10 a partir das 08:00 acontece mais um evento esportivo do circuito corpore. Desta vez na Zona Leste S.P., largada dentro do estacionamento do Shopping Aricanduva, na Avenida Aricanduva.


Como Sempre nossa equipe estará presente, e convidamos nossos alunos e amigos para participarem desse maravilhoso evento esportivo, serão 09 km pelas ruas da Zona Leste, venha e prestigie esse evento conosco.


Alongamento na tenda a partir das 07:20 hs.


Coach Fábio Brito.




Contato (011) 7149-9979 (011) 9530-2695

domingo, 5 de outubro de 2008

Transporte de bicicleta no carro requer cuidados

Prática, saudável para o usuário e não poluente. Essas são algumas das vantagens da bicicleta, bike ou “magrela”, como muitos preferem denominá-la. Seja como um esporte ou apenas lazer, ela está presente na vida de muitos brasileiros adeptos da pedalada. Mesmo os que possuem automóveis não abrem mão de carregá-la.



A escolha do suporte para transportar a bicicleta no carro deve levar em consideração o uso e a praticidade. Além disso, precisa ser feita de forma segura para evitar acidentes e multas no trânsito. Renato Pereira, 28 anos, ciclista especializado na categoria cross country, dá uma dica importante: “O essencial é comprar um suporte em locais especializados neste seguimento. Estas empresas mais conceituadas fazem testes de vibração, velocidade e impacto nas estradas. Há marcas que oferecem preços razoáveis e bem acessíveis, mas não garantem muita segurança para o usuário”, diz.
De acordo com Pereira, outro detalhe fundamental é em relação à fixação do suporte. “Todos os modelos vêm com informações que devem ser seguidas. O que está no manual de instruções deve ser realizado. Não é exagero. Às vezes, não usar uma fita ou presilha por achar que não é necessário pode provocar algum acidente. É importante ler com atenção e cumprir as regras”, alerta ele, que pedala há 14 anos e leva a “magrela” para diversos campeonatos.
Tipos de suporteOs equipamentos são divididos em dois tipos: os de teto e os traseiros. Estes são colocados de forma perpendicular e há a necessidade de um rack, que se não vier original de fábrica, pode ser instalado na concessionária ou em lojas especializadas. Entretanto, se for sugerido que a lataria do carro seja furada para prender o acessório, fique atento. A prática não é recomendada pelas montadoras.
Os suportes traseiros podem ser de colocados na caçamba das caminhonetes, na tampa traseira, acoplado ao engate, dentro do porta-malas e fixado no estepe. Por isso, é bom avaliar o tipo mais adequado para o veículo, como também a quantidade de bicicletas que irá transportar – geralmente quatro é o máximo.
Elpidio Dutra, 48 anos, revendedor de uma marca sueca, explica que os preços variam bastante. Os valores vão de R$ 253 até R$ 2.415. “Aconselho o suporte de teto, pois oferece segurança para a bicicleta. Mas antes, pergunto ao cliente se ele mora em prédio ou em casa onde a altura da garagem é baixa, pois neste caso é ideal que se compre o tipo traseiro. Isso evita a retirada da bike antes guardar o carro ou acidente, como arrancar o teto do carro”, conta.
O que diz a leiÉ a Resolução nº. 549/79 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) que regulamenta o transporte de bicicletas na parte posterior externa e sobre o teto dos veículos de transporte de passageiros e misto. Ela determina que a bicicleta seja fixada à estrutura do veículo por dispositivo apropriado, de forma a não atentar contra a segurança do veículo e do trânsito. Além disso, não deve exceder à largura do veículo, nem impedir a visibilidade do condutor através do seu vidro traseiro, nem obstruir as luzes do veículo. O advogado Marcelo Araújo, professor de Direito do Trânsito do Centro Universitário de Curitiba/PR, diz que apesar da Resolução nº. 197 levar em conta o engate apenas para o reboque de carretinhas, é permitido o uso deste para acoplamento do suporte de bicicleta, pois é um equipamento apropriado. Araújo chama atenção para o cumprimento de outras leis como a velocidade máxima permitida para veículos com carga e as condições de legibilidade e visibilidade da placa de identificação, que podem ser encontradas no Código de Trânsito Brasileiro.

O que comer após acordar...

BODY & CIA - Assessoria Esportiva

Prof. Claudio Bolanho / www.bodycia.com.br

O tempo ideal para que uma refeição seja digerida é aproximadamente de 2 a 4 horas, porém atletas e esportistas sempre se encontram na situação de treinar imediatamente após acordar. O jejum é totalmente contra indicado nesse momento, porém o recomendado é não iniciar um treino com o estômago muito cheio.

Dessa forma, é importante escolher alimentos que sejam fontes de nutrientes que forneçam carboidratos (hidratos de carbono), e com isso, energia: pão, biscoito ou bolo simples, barras de cereais, géis de carboidratos e frutas. Além disso, deve-se e dispensar os nutrientes que "pesam" no estômago como as proteínas (leite e queijo) e as gorduras em geral.

Os alimentos ricos em fibras, como cereais fibrosos e algumas frutas como laranja com bagaço e abacaxi não são recomendados nesse momento, pois podem causar desconforto gastrintestinal.
 A quantidade de carboidrato indicada para ser ingerida antes do treino é de 25 a 30g.

Na tabela abaixo seguem alguns exemplos de alimentos ricos em carboidratos e suas respectivas quantidades:

Exemplos de lanches rápidos (escolha apenas 1 opção):
      

  Bolo simples (1 fatia média)
      

  Suco de fruta (1 copo cheio) + Bolo simples ( 1 fatia pequena)
      

  Barra de cereal + Suco de fruta (1 copo cheio)
      

  Pão de forma (1 fatia) + Geléia de frutas ( 1 colher de sobremesa)
      

  Mamão papaia (1/2 unidade) + Bolacha de água e sal (3 unidades)
      

  Banana prata (1 unidade) + Aveia (2 colheres de sopa)
      

  Biscoito maisena (3 unidades) + Geléia de frutas (1 colher de sobremesa)
      

  Carboidrato em gel;

 

*Não esqueça tabém de fazer uma pré-hidratação antes de começar a atividade de 300 a 500 ml de água, divididos em quatro tomadas. Tome a primeira dose uma hora antes e as outras com intervalos de 15 minutos. Durante tome de 200 ml a 300 ml a cada 20 minutos. Cuidado para não exagerar. Afinal, é necessário respeitar a velocidade de esvaziamento do líquido no estômago.

 

www.bodycia.com.br



Novos endereços, o Yahoo! que você conhece. Crie um email novo com a sua cara @ymail.com ou @rocketmail.com.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Treino na Serra

Aos amigos e amantes de Corrida e Triathlon nós da Assessoria Fabio Brito junto com a Triatividade convidamos todos para o treino na Serra (Estrada Velha de Santos).
Sábado dia 04-10-2008, a partir das 07 da manhã, ponto de encontro no Bar Flutuante, não esqueça os materiais de treino obrigatório, protetor solar e carteira do convênio, capacete, chaves L, câmera reserva, bomba de ar,roupa de borracha .
Aguardo a presença de todos!
Coach Brito.


Novos endereços, o Yahoo! que você conhece. Crie um email novo com a sua cara @ymail.com ou @rocketmail.com.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

NOVO RECORDE NA MARATONA


28/09/2008 - 11h50
Gebrselassie quebra recorde mundial da maratona em Berlim

Por Kevin Fylan
BERLIM (Reuters) - O etíope Haile Gebrselassie quebrou seu próprio recorde mundial da maratona neste domingo e se tornou o primeiro homem a correr a prova abaixo de duas horas e quatro minutos.
Gebrselassie cravou 2h3min59, superando seu recorde anterior de 2h04min26 estabelecido também em Berlim um ano atrás, quando tomou o recorde mundial de seu grande rival, o queniano Paul Tergat.
Vestindo sua característica roupa amarela com sapatos combinando, o atleta de 35 anos manteve o ritmo adequado desde o início e na metade de prova já estava 25 segundos acima de seu melhor tempo do ano passado.
Gebrselassie, que preferiu não correr a maratona na Olimpíada de Pequim no mês passado devido a preocupações com a poluição, deixou para trás seu último concorrente, James Kwambai, faltando cerca de seis quilômetros, e sua vitória nunca esteve em dúvida.
Os preparativos de Gebrselassie para o evento foram afetados por uma cãibra no músculo da panturrilha, mas ele disse que as condições climáticas perfeitas e o apoio da platéia o ajudaram a superar o problema.
"Foi tudo perfeito", disse Gebrselassie, bicampeão olímpico dos 10 mil metros, à tevê alemã, depois de cruzar a linha de chegada na manhã fria mas ensolarada de Berlim.
"O clima, a corrida e o público foram perfeitos."
"Senti-me correndo em um estádio", acrescentou ele mais tarde em uma coletiva de imprensa. "Os torcedores foram tão bons que me ajudaram a sentir como se tivesse acabado de largar."
"Realmente, este clima nunca se vê. É preciso lembrar disso."
Kwambai foi o segundo, com 2h05min36, e seu compatriota queniano Charles Kam cruzou em terceiro, com 2h07min48.
A alemã Irina Mikitenko venceu a prova feminina com o tempo de 2h19min19.

OS INVENTORES DO TÊNIS

Quem foram?
Os inventores do tênis
Os irmãos Dassler se odiavam tanto que passaram a vida competindo. Resultado? Um criou a Adidas e o outro a Puma

TEXTO ÁLVARO OPPERMANN

Era uma vez dois irmãos que moravam na cidadezinha de Herzogenaurach, na Alemanha. Adolf era introvertido e artesão nato. Rudolf era mais expansivo, com grande talento para vendas. Por serem tão diferentes, eles se odiavam. E também por causa disso não conseguiam se separar. Trabalhavam juntos, na fabriqueta Gebrüder Dassler Schuhfabrik, que em alemão significa “fábrica de sapatos dos irmãos Dassler”. E, dia após dia, brigavam. Mas nos negócios a união da qualidade do trabalho de Adi (diminutivo de Adolf) e do tino comercial de Rudi (Rudolf) dava muito certo. Eles tinham criado um tênis mais leve e anatômico do que os modelos pesadões existentes até então no mercado, e essa invenção estava deixando a dupla rica, muito rica. Por isso, conseguiam se tolerar. Foi assim até 1943, época do 3º Reich. Adolf era apolítico, filiado ao partido nazista por pura conveniência – Hitler incentivava o esporte na Alemanha, e isso fizera crescer as vendas de tênis. Já Rudi era um nazista fanático. Em1943, a cidade de Herzogenaurach foi bombardeada pelos Aliados. Chegando ao abrigo antiaéreo, Adolf encontrou a família do irmão e comentou: “Os sujos bastardos voltaram”. A esposa de Rudi ouviu e achou que o comentário era endereçado a ela e ao marido. Não adiantou explicar a confusão: a relação entre os irmãos ruiu de vez. Essa não é a única versão dos motivos da separação. Há quem diga que, com o fim da guerra, Adi teria entregado o irmão aos Aliados. Mas não há nada confirmado. Certeza mesmo é que, em 1948, Adolf Dassler aproveitou uma brecha legal para dissolver a parceria familiar e renomeou a Gebrüder Dassler Schuhfabrik para Adidas (contração de “Adi” e “Dassler”). Rudolf deu o troco. Criou outra fábrica de tênis – a “Ruda”, mais tarde rebatizada de Puma. A criação das marcas dividiu a cidade de Herzogenaurach, cortada por um rio. Em uma das margens ficava a fábrica da Adidas. Na outra, a da Puma. “O rio virou uma espécie de Muro de Berlim”, escreveu Barbara Smit, autora de uma biografia dos irmãos. O ASV Herzogenaurach, um dos times de futebol da cidade, passou a ser patrocinado pela Adidas. O 1 FC Herzogenaurach, pela Puma. Quem estivesse com peças Adidas não entrava nos bares freqüentados por fãs da Puma e casamentos “mistos” passaram a ser malvistos. A competição entre Adi e Rudi era tão grande que, nos anos 70, eles não perceberam a aproximação de sua verdadeira inimiga: a americana Nike, que desbancou as duas marcas alemãs. Rudolf morreu em 1974. Adolf, em 1978. Os dois estão enterrados no cemitério de Herzogenaurach. Em lados opostos do terreno, claro. GRANDES MOMENTOS - Em 1936, durante a Olimpíada de Berlim, os Dassler ofereceram um par de tênis a um corredor chamado Jesse Owens. Ele ganhou 4 medalhas de ouro e a jogada dos irmãos inaugurou o marketing esportivo. - Na Olimpíada de 1960, o corredor Armin Hary firmou contratos separados com a Adidas e a Puma. Foi a única vez que os irmãos concordaram em alguma coisa: Armin nunca mais foi patrocinado por eles. - Em 2004, Frank, neto de Rudolf (da Puma), assumiu um cargo na Adidas. “Muitos familiares meus consideraram isso uma traição”, disse Frank.

FONTE : REVISTA SUPER INTERESSANTE NA INTERNET

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Fábio Brito assessoria esportiva


Atenção! Já está o ar o site da assessoria esportiva do Fabio Brito.

Visitem e divulguem:
Agora o Triatividade, que já conta com o Prof. Claudio Bolanho diretamente de Portugal (www.bodycia.com.br), contará com mais um grande profissional colaborando com textos e dicas para nossos leitores. Fábio Brito, triatleta de destaque (vejam o currículo dele no site ), agora está com a "Fabio Brito Assessoria" treinando corredores e triatletas que já têm apresentado grande evolução em suas performances.
Obs.: O bonitão da foto ao lado não é um modelo é o Brito mesmo!!!

Valmir Nunes vai correr os 246 km na Grécia

BODY & CIA - Assessoria Esportiva - www.bodycia.com.br

Fonte: Revista O2 online


O atleta brasileiro disputará a Spartathlon, uma das provas mais difíceis do mundo, nos dias 26 e 27 de setembro, entre Esparta e Atenas


 
O santista Valmir Nunes vai refazer o trajeto feito pelo soldado Feidípides entre Esparta e Atenas, no ano 490 a.C., quando o grego foi buscar reforços para combater os invasores durante a guerra entre seu povo e os persas. O atleta brasileiro vai correr os 246 quilômetros da Spartathlon, prova considerada uma das mais difíceis do mundo, nos dias 26 e 27 de setembro.

O percurso é longo e complicado, pois há subidas, descidas e trechos planos. Os corredores partem de Atenas, passam por Corinto, Nemea, Le Yrkia, Nestani e Tegea e finalizam o trajeto em Esparta. Mas para participar de uma competição como essa, é preciso ter o currículo de corredor previamente aprovado. Mesmo assim é um desafio para os mais preparados e experientes no esporte. "A prova é muito complicada por apresentar muitas subidas, descidas e diferentes temperaturas durante todo o tempo da competição, mas, para mim, essa é, sem dúvida, a melhor prova do mundo", disse Valmir.

Valmir Nunes já venceu a 19ª edição da Spartathlon, em 2001, com o tempo de 23h18min. Ficou com a prata em 2003 e, em 2007, garantiu o bronze, mesmo com fortes dores no tendão. Na ocasião, ele foi único latino-americano a ficar entre 20 primeiros colocados. Agora, recuperado da cirurgia no tendão, Valmir vai em busca do bicampeonato. 
 
Bom treino a todos!!
 
Abraços Prof. Claudio Bolanho

Diretor Geral

 



Novos endereços, o Yahoo! que você conhece. Crie um email novo com a sua cara @ymail.com ou @rocketmail.com.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

OS JÁ INSCRITOS NO IROMAN 2009 !!!



AQUI A LISTA OFICIAL DA GALERA INSCRITA, JÁ SOMOS 11 FALTA ALGUÉM ???

  • DOUGLAS
  • LIMINHA
  • CLODOALDO
  • CLAUDIO
  • GIVALDO
  • EDU ( VIRTUAL )
  • ENZO
  • RONÁ
  • FLÁVIO ( BOY )
  • VALDIR
  • CLEBÃO
ESTE ANO VAI SER UMA FESTA !!! QUE VENHA 2009 !!! IIIIIUUHHHHUUUUUUUU

Shiro e Carla comemoram vitórias "em casa" no 18º Troféu Brasil de Triathlon

Por: FMA Notícias

ATLETAS VENCERAM DE PONTA A PONTA A 5ª ETAPA DO RANKING NESTE DOMINGO

Dois triatletas com experiências olímpicas, Paulo Miyasiro e Carla Moreno voltaram a vencer no 18º Troféu Brasil de Triathlon, desta vez “em casa” na 5ª etapa do ranking, neste domingo (dia 21), em Santos. Com atuações impecáveis, eles venceram as suas provas de ponta a ponta, sem serem ameaçados em qualquer momento.

Melhor latino-americano nos Jogos Olímpicos de Beijing, o paranaense Juraci Moreira foi outro grande destaque, garantindo o segundo lugar, numa prova de recuperação. A disputa reuniu 674 atletas de 20 estados, além da Argentina, e foi disputada boa parte sob chuva.

Mesmo assim, um bom público prestigiou os competidores, com uma grande festa para Miyasiro, que completou os 1,5 km de natação, 40 km de ciclismo e 10 km de corrida em 1h48min11s, dois minutos e 41 segundos à frente de Juraci. Carla Moreno, também muito festejada pela torcida, cruzou a linha de chegada em 2h04min01s, com incríveis oito minutos de dianteira para a argentina Maria Soledad Omar.

Na prova masculina, o talento local confirmou ser um dos melhores nadadores do Circuito Mundial de Triathlon e aproveitou o conhecimento das condições adversas do mar, para abrir uma grande vantagem sobre os rivais, saindo da água mais de um minuto à frente de seus companheiros de treino Fábio Carvalho e Fred Monteiro.

No pedal, manteve o ritmo forte e ao trocar de modalidade para a corrida a diferença subiu para dois minutos e meio. Sabendo da distância, ele apenas administrou o resultado para festejar a sua segunda vitória no circuito, que o colocou definitivamente na ‘briga’ pelo título. O atual campeão e seu adversário direto no circuito, Fábio Carvalho, foi o terceiro, com 1h49min59s (voltando ao primeiro lugar no ranking), seguido de Fred Monteiro, 1h51min38, e o argentino Ezequiel Morales, com 1h52min04s.

“Eu estava planejando uma vantagem na água e no ciclismo, porque na corrida ainda não estou muito confiante. Então deu tudo certo. Abri boa vantagem e na corrida consegui controlar”, afirmou Shiro, como é conhecido, também vencedor na prova anterior, na USP, em São Paulo, em seu retorno, após uma lesão na coxa, que o tirou de duas etapas..

Na briga pelo título, seu adversário direto será Fábio Carvalho. “Um quer o melhor para o outro e quem estiver melhor vai comemorar em dezembro”, relatou o atleta, representante brasileiro nos Jogos Olímpicos de Atenas e vencedor do 17º Triathlon Internacional de Santos, garantindo uma vitória nacional, após 11 anos no masculino.

JURACI - Uma semana após o terceiro lugar no Ironman Brasil 70.3, em SC, e em sua primeira prova na distância olímpica, desde que retornou de Beijing, Juraci gostou de seu desempenho, garantindo um resultado de recuperação. Ele não nadou tão bem como o esperado, saindo em quinto lugar. No pedal, entregou a bike na mesma posição e na corrida ganhou três posições, para garantir o segundo lugar.

“Está indo de acordo como eu esperava. Claro que queria vencer, mas o segundo lugar foi bom. Na largada já perdi o Shiro e tinha de nadar com ele. Todos sabem que aqui o Shiro é favorito. Saí um pouco atrás, tentei correr forte para tirar, mas não deu. Hoje o dia era dele”, contou. “Vamos ver se até a última etapa a gente chega a ponto de bater o Shiro aqui na casa dele. Com certeza, em 2009, minha prioridade será o Troféu Brasil e venho para ser bicampeão”, relatou o atleta, campeão geral em 2005.

Fabinho, que retornou de um período de sete semanas de treino nos Estados Unidos, esperava, pelo menos, o segundo lugar, mas disse estar tranquilo quanto à possibilidade de chegar ao bicampeonato. “O jura tirou uns pontinhos que eu iria precisar, mas está bom. A briga mesmo ficará a ultima etapa, que vale peso 1,5. como já ganhei duas provas, estou confiante que posso chegar ao novo título”, afirmou o atual campeão do circuito.

Ele também destacou as qualidades dos dois concorrentes que chegaram à sua frente. “O Shiro nadou muito, na bike colocou mais tempo em cima ainda e na corrida era muito difícil pegar. O Jura corre muito. Não tem o que falar dele. Tem três olimpíadas de experiência”, elogiou.

HEPTA - Na prova feminina, Carla mostrou grande superioridade desde a natação. No ciclismo foi novamente soberana e na corrida conseguiu ampliar a vantagem. Esta foi a quarta vitória da triatleta nascida em São Carlos, que mora em Santos há mais de quatro anos. Com o resultado, ela reassumiu a liderança do ranking e ficou muito próxima do heptacampeonato. “Ainda tem duas etapas e vou treinar muito e lutar para vencer e aí sim comemorar”, disse.

“Cada etapa é uma história diferente e muita coisa pode acontecer, como um pneu furado, que muda tudo e prejudicar todo o campeonato. Então, não tem clima de já ganhou. Tudo pode acontecer”, afirmou a atleta, que defendeu o Brasil nos Jogos Olímpicos de Sydney e Atenas.

PRÓXIMAS - O circuito terá mais duas etapas, ambas em Santos. A penúltima prova será no dia 9 de novembro e a grande final, valendo peso 1,5, no dia 6 de dezembro. Todos os resultados e informações no site oficial www.trofeubrasil.com. O idealizador do circuito e um dos maiores entusiastas do triathlon no País, Núbio de Almeida, vibrou com o sucesso da etapa. “Foi tudo fantástico e mesmo com a chuva, não tivemos nenhum acidente. Os apoios do Exército, da PM e da CET foram perfeitos. Foi uma grande festa da nossa cidade, mais um dia coroado com o triathlon, que é um patrimônio de Santos e então a comunidade sempre prestigia, está presente sempre”, destacou.

O 18º Troféu Brasil de Triathlon tem os patrocínios de Fit e Gatorade e co-patrocínios de PowerBar, Speedo e Santaconstancia. Apoio da Prefeitura Municipal de Santos, Medicalline, AIB, Porto Seguro, MKTE, Webrun, Ativo, VO2 e Santos e Região Convention e Visitors Bureau. Colaboração: Semes, CET-Santos, GMS, 6º BPMI, 2º BIL e 17º GB. Promoção da Tri FM e transmissão da Sportv.

RESULTADOS DA ETAPA

MASCULINO

1 Paulo Miyasiro (Pão de Açúcar/ Avora) – Santos – 1h48min11s
2 Juraci Moreira (Club Social/ Amil/ Fecomércio Sesc Senac PR/ Speedo) – Curitiba – 1h50min52s
3 Fábio Carvalho – Herbalife/Oakley/Mizuno/Merida/PowerBar) – Santos – 1h50min59s
4 Fred Monteiro (Homelife/Third/Flets) – Santos – 1h51min38s
5 Ezequiel Morales – Argentina – 1h52min04s

FEMININO

1 Carla Moreno (Pão de Açúcar/PowerBar/Prefeitura de Santos/Nike/Flets) – Santos – 2h04min01s
2 Maria Soledad Omar (Nutrilatina Age) – Argentina – 2h12min02s
3 Ariane Gomes – Porto Alegre – 2h17min08s
4 Silvia Helena Fusco (Damha) – São Carlos – 2h17min23s

RANKING – APÓS 5 ETAPAS

MASCULINO

1 Fábio Carvalho – 526
2 – Bruno Pereira Matheus – 454
3 Fred Monteiro – 452,5

FEMININO

1 Carla Moreno 585
2 Vanessa Gianinni – 524,5
3 Fernanda Garcia – 470,5

Em preparação para o Mundial, Colucci vence prova nacional

Fonte: gazeta esportiva net

Rio de Janeiro (RJ) - Em fase de preparação para o Mundial de Triatlo, o olímpico Reinaldo Colucci venceu a segunda etapa do Brasileiro da modalidade, disputado no Rio de Janeiro nesse domingo.
Com o tempo de 1h48min40, Colucci foi o mais rápido do percurso de 1,5km de natação, 40km de ciclismo e 10km de corrida. A prova contou com cerca de 300 competidores no Aterro do Flamengo. O pódio foi completado pelo carioca Diogo Sclebin (1h49min40) e pleo mineiro Luiz Francisco Ferreira, terceiro colocado com a marca de 1h50min24.

Agora, Colucci, que está em uma maratona de competições internacionais – ele participou das Olimpíadas e do Ironman 70.3 em Cingapura -, prepara-se para o Mundial de Triatlo, a ser realizado nos Estados Unidos em 8 de novembro.

domingo, 21 de setembro de 2008

PRIMEIRO ESPANHOL A VENCER TOUR, GIRO E VUELTA

BODY & CIA - Assessoria esportiva - www.bodycia.com.br

 

Alberto Contador coroado em Madrid - 21 de Setembro 2008

Fonte: www.sapo.pt


Alberto Contador Velasco confirmou esta tarde a vitória na Volta a Espanha, sendo o primeiro espanhol a conquistar as três maiores provas do calendário internacional - Tour, Giro e Vuelta.

Nascido há 25 anos em Pinto, nos arredores da capital castelhana, o ciclista da Astana iniciou-se na modalidade aos 15 anos quando o seu irmão Fran, praticante amador, lhe ofereceu uma bicicleta.

Convicto das suas capacidades, Contador abandonou os seus estudos universitários para se juntar, como amador, à equipa Iberdrola, tendo na altura a alcunha de "Pantani", na sequência da vitória do italiano no Tour'98.

Conquistou a sua primeira vitória numa etapa como profissional em 2003, no contra-relógio da Volta a Polónia, com a sua carreira a sofrer um revés em 2004 quando lhe foi detectado um tumor vascular no cérebro, precisando de cerca de seis meses para recuperar.

Doença vencida, voltou a montar a bicicleta em Janeiro de 2005, estreando-se na Volta a França, e arrancando uma bela posição final: 31.º.

Há dois anos, a Astana foi banida do Grand Boucle na sequência da mediática "Operacion Puerto". Contador, no entanto, nunca foi condenado, regressando em 2007 para conquistar a prova, seguindo-se já este ano a Volta a Itália..

Contador é o quinto de sempre e o primeiro espanhol a vencer as três maiores corridas do Mundo. Os outros quatro: os franceses Jacques Anquetil e Bernard Hinault, o belga Eddy Merckx e o italiano Felice Gimondi. O espanhol é já uma lenda.

 

conheça nosso site! www.bodycia.com.br

 



Novos endereços, o Yahoo! que você conhece. Crie um email novo com a sua cara @ymail.com ou @rocketmail.com.